English - Español - Française

quinta-feira, 12 de março de 2009

Para onde o cavalo foi?

É, meu camarada. O litoral também oferece notícias dignas de programas Espreme que sai sangue, como o programa do Pinga Fogo, do Alborghetti, do Datena, do Oliveira Paraná e muitos outros.

Não que este humilde blogue tenha se rendido a esse tipo de notícia de programas sensacionalistas acima citados, mas é que eu fui o primeiro jornalista a estar no local. O primeiro e único, diga-se de passagem.
Eu vi a história sendo feita! Sou testemunha ocular do fato! Ah, como sou fã de mim mesmo!

O que aconteceu, caro(a) leitor(a), é que, enquanto eu estudava abaixo de um sol de quase 40 graus, minha mãe gritou: "Olha! Um cavalo disparou!".
Levantei-me rapidamente, pensando na imagem de um cavalo disparando um tiro em alguém.

OBS: Devemos nos atentar ao fato de que a possibilidade de um cavalo disparar um tiro em alguém é nula, por dois motivos: 1. Cavalos não tem polegar opositor; 2. Cavalos não tem boa mira.

Na verdade, o que eu vi foi uma carroça sendo puxada por um cavalo em alta velocidade. Desci correndo as escadas de casa e fui para fora. Vi o cavalo virar a esquina lá longe, virei a cabeça e vi uma aglomeração a umas duas quadras de casa. Corri até o lugar ouvindo uma senhôra gritando: "Ele caiu! Alguém chama a ambulância!"

A aglomeração e a véia gritando

É, a velha tinha razão. Realmente tinha um rapaz caído. Nunca duvide de uma senhôra gritando pelas ruas.
O que tinha acontecido, honorável leitor(a), é que o rapaz e seus dois filhos estavam trabalhando (creio eu que fazendo frete, pois tinha uma geladeira em cima da carroça), quando, de repente, o cavalo saiu correndo levando a carroça e a geladeira junto.

O rapaz caído, antes de cair, tentou pular em cima do cavalo para fazê-lo parar (pois só assim um cavalo para), mas o cavalo, que foi mais forte e mais rápido, derrubou-o e passou com a roda da carroça por cima do homem. Por isso ele estava caído.


Digo-lhes que a orelha desse rapaz estava um tanto quanto acabada. mas agora ele já deve estar bem melhor.
O que eu gostaria que alguém me contasse é a situação do cavalo com a carroça. Onde será que eles foram parar?

2 comentários:

Octávio Rossi disse...

Uma observação, cavalos também não podem tirar porte de arma. Certeza que o eqüino possui passagem pela polícia, caso contrário não sairia correndo. Já diz o ditado: quem não deve não teme.

Tiozaum disse...

ahiauhaiuahi