English - Español - Française

terça-feira, 6 de maio de 2008

Pô, peixe. Meu carro novo!

No dia 13 de abril, a imprensa teve um prato cheio com uma notícia bastante esdrúxula: alguém havia batido a Ferrari do Romário.
Bem, foi só isso que a imprensa noticiou, nada mais. Mas a PCI (Pepino Circense Investigações) foi atrás e descobriu coisas metaforicamente bizarras. Mas muito metaforicamente mesmo!

O fato é que Romário contou à todos que havia emprestado o carro a um amigo, e que este o bateu.

Mas a PCI foi fundo e apurou muito mais:

1. O amigo que bateu o carro é apenas chamado de "Beto". Assim ficou mais fácil achar o culpado. Com essa dica, a PCI já conseguiu eliminar um suspeito: "Beto Carrero", pois este já morrera.
2. O carro que Romário emprestou para Beto era uma Ferrari. Pô, quem, em sã consciência, empresta uma Ferrari?
3. Todo mundo conhece o histórico etílico de Romário. E sabemos que ele não é flor que se cheire.
4. Ninguém viu esse tal de Beto. Ele deve ser uma lenda, tipo o Jim Morrison, que dizem que ainda está vivo e vagando por aí. Ou então é o amigo imaginário de Romário. Quem não teve (ou tem) um amigo imaginário que bata a primeira Ferrari.

Não somos a revista Veja, mas, mesmo assim, damos o nosso veredicto e também acusamos quem queremos: o verdadeiro culpado do acidente foi o próprio Romário. Ele estava indo para um motel, onde seu amigo, Ronaldo, levaria umas garotas de programa para passar uma boa noite de sono juntos. Depois que Romário viu as tais garotas, saiu cantando o pneu e deu no que deu.

Pra fazer um estrago desses, só um fenômeno mesmo...

Um comentário:

=^.^= Muni=^.^-= disse...

HAhahahahahahahahaha

esse ficaria bom no BOCA