English - Español - Française

sexta-feira, 14 de setembro de 2007

As diferentes formas de protesto (em favor dos palhaços)

Certa manhã, acordei e vi meu priminho (que na época devia ter uns seis ou sete anos) vestindo a camiseta do Atlético-PR do avesso. Ao ser indagado sobre tal esdruxulice, ele respondeu: "É porque o Atlético perdeu o jogo". O jogo em questão tinha acontecido na noite anterior, e como não me ligo muito em futebol, não lembro o placar. Sequer lembro quem jogava com quem.

Mas isso não importa. O que percebo hoje, é que meu primo foi o pioneiro do neo-protestantismo (favor não confudir com religiões e afins).
Hoje em dia é assim, quer protestar? Seja o mais diferente possível! O neo-protestantismo é isso. Diferente ser, para poder aparecer é o lema!
Vejamos agora alguns exemplos de protestos diferentes:
O Protesto das senhoras de posses: É o protesto que está em voga hoje em dia. Basta você se aproveitar de algum acidente de avião que aconteceu recentemente e dizer que está cansado disso ou daquilo. Não precisa especificar o motivo de tanta canseira, afinal de contas, caminhar cheio de seguranças por alguns quilômetros no calçadão da praia dá uma canseira danada! Adeptos: Hebe Camargo e seus irmãos Zeca Camargo e Zezé di Camargo. Real motivo do protesto: O baixo custo do botox. Onde já se viu, um produto que antes era exclusivo das senhoras de posses, hoje em dia nos beiços das mulheres de classe média?

Gracinha!

Aqui, D. Florinda é recriminada por ter patrocinado o evento "Cansei", em vez de pagar o salário do Chaves.


O Protesto das adeptas do naturismo: É a forma de protesto mais legal de se ver na televisão. É o tipo de protesto que dispensa palavras, as imagens falam por si só. E que imagens... Adeptos: Aspirantes à atriz, ex-BBBs e qualquer uma que goste de aparecer. Real motivo do protesto: Aparecer. Quem sabe um olheiro da Playboy não se interessa?

Além de ser um protesto pacífico e bonito, vejam só quantos adeptos a causa dela ganhou.

Essa aí queria ver os jogos da Copa e errou o caminho.
O Protesto dos sem-terra: Os lemingues são considerados os sem-terra do reino animal, assim como o Los Hermanos são os sem-talento. Mas a forma de protesto deles é meio burralda. Afinal de contas, se jogar no mar e morrer não é uma forma legal de se protestar. E depois, se o protesto der resultado, quem vai aproveitar?
A luta continua, companheiros! (fazer língua presa)
Agora, se tem uma forma de protesto que eu acho completamente sem razão de ser, é essa:
O que é que tem a ver usar nariz de palhaço para protestar? Pelo que sei, palhaços são pessoas muito legais e engraçadas, e não pessoas engajadas que estão tristes com a situação econômica e social do país. Ninguém vai ao circo para ver um bando de palhaços ficar gritando palavras de ordem. Isso é uma afronta ao Arrelia, ao Carequinha e ao palhaço Bozo, que muito me fez rir.
Gente, vamos parar com isso! Onde já se viu? É por isso que nenhum protesto dá certo! Se vestir de palhaço para protestar... tsc tsc! Na hora do protesto, por que não se vestir de frentista? Ou de advogado? Ou então, fazer um protesto mais legal, se vestindo de conde Drácula ou Bob Esponja? Isso sim daria resultado! Coloquem na cabeça: ao ver todo mundo com nariz de palhaço, os governantes vão saber que está tudo bem, e que a população está feliz. Pois é isso que a imagem do palhaço passa: felicidade!

Ueeeeeee... Quem fizer protesto com nariz de palhaço vai fazer xixi na cama!
Agora, a pergunta derradeira: Se essa moda de protesto com nariz de palhaço pegar, que credibilidade os palhaços terão quando forem protestar contra o dono do circo que atrasa os salários?

Nenhum comentário: