English - Español - Française

domingo, 25 de janeiro de 2015

Gênesis 6:14-22

– Noé! – uma voz estrondosa o chamou.
Noé olhou para cima, procurando pelo dono da voz.
– Pois não, Senhor?
– Terminou a Arca?
– Terminei, sim. Veja só como ela está maravilhosa! Usei da melhor madeira de gofer que encontrei, enchi-a de compartimentos e mandei betumá-la toda por dentro e por fora, assim como o Senhor ordenou. São trezentos côvados de comprimento, cinquenta côvados de largura e trinta côvados de altura.
– E por que demorou tanto para fazê-la?
– Demorei um pouco porque eu tive que pesquisar o que é “côvado”, para depois fazer a conversão de côvados para metros. Foi então que me dei conta de que não tem onde eu pesquisar, nem enciclopédias, nem googles, nem nada. Por isso eu demorei. Bem, resumindo, demorei um pouco, mas aqui está a Arca, linda e maravilhosa!

– E os animais, já estão todos dentro da Arca?
Noé engoliu em seco.
– Então... a maioria já entrou, sim. Mas tem uns que ainda não chegaram...
– Como assim, Noé? Eu quero mandar o dilúvio ainda hoje! Preciso que essa Arca esteja pronta logo!
– Mas, Senhor, a culpa não é minha!
– É minha, então?
– Claro que não, Senhor. Desculpe-me se O ofendi. Mas é que tem animais que vivem longe daqui.
– Explique-se melhor.
– O casal de lhamas, por exemplo, que está vindo da Bolívia. La Paz é muito alta, o Senhor sabia? Bem, claro que o Senhor sabe, pois foi o Senhor que inventou La Paz. Mas então, La Paz fica a mais de três mil e quinhentos metros de altitude. Esse casal de lhamas tem que descer mais de três mil e quinhentos metros, depois atravessar o Oceano Atlântico e chegar aqui no Oriente Médio. Deve ser por isso que essas lhamas estão demorando, Senhor.
– Não é mais uma de suas desculpas esfarrapadas, Noé?
– Não, Senhor. Eu juro pelo Senhor.
– E depois que esse casal de lhamas chegar, posso enviar o dilúvio?
– É... então...
– Que animais estão faltando, além das lhamas, Noé?
– O casal de pandas, Senhor.
– Cadê o casal de pandas, Noé?
– Então, eu tentei escolher o casal mais rápido, para que pudessem vir da China o mais rápido possível. Mas acho que falhei, Senhor. O Senhor sabe como esses pandas são lentos, não é?
– Noé, me dê uma notícia boa, pelo menos.
– Uma notícia boa? Mas claro, Senhor. O Senhor vai gostar de saber que o casal de cachorros já está na Arca. Deixei entrar só os dois beagles, que são os mais bonitinhos.
– Hum... Isso vai ser bom, porque as pessoas gostam de cachorros. No futuro, Noé, o que vai mover a humanidade vai ser vídeos e fotos de cachorrinhos!
Noé apenas sorriu.
– Mas, Senhor. Posso fazer uma pergunta?
– Faça!
– Precisa mesmo desse casal de baratas?
– Bem, precisar não precisa. Mas sabe como são as baratas... mesmo se deixá-las aí, à mercê do dilúvio, elas vão conseguir sobreviver.
– Ah, Senhor, estava quase me esquecendo. Apesar de o kiwi ser um pássaro, ele não voa. Então, um casal deles saiu da Nova Zelândia faz uns cinco meses, mas como estão vindo a pé, creio que vão demorar mais um pouquinho.
Vai logo, kiwi!!

– Como é que pode, Noé? Pensei que você fosse mais eficiente! Mais algum problema, Noé?
– Os pinguins, Senhor. Os pinguins e os ursos polares já estão começando a reclamar do calor.
– E do Brasil, Noé. Não vai ter animal algum do Brasil?
– Vai, sim! A maioria já está dentro da Arca: um casal de onças-pintadas, um casal de tamanduás-bandeira, um casal de tatus, um casal de ariranhas e um casal de araras-azul.
– Muito bem, Noé. Orgulho-Me de você. Mas, por que me disse que a maioria já está na Arca? Falta mais algum?
– Falta, Senhor.
– E qual?
Noé olhou para baixo.
– O José Sarney.
– Eu não Me lembro de ter inventado esse tal de José Sarney. O que é um José Sarney?
– Não foi o Senhor que o inventou. Ele é um político brasileiro, que está sentado na cadeira da política desde que a política foi inventada. Mas não ligue, Senhor. Ele é apenas mais um dos dinossauros da política daquele país. Esses dinossauros da política mais atrapalham que ajudam o país, Senhor.
– Dinossauros da política? Tem isso é?
– Tem sim, e como!
– Decidido, então! Espere pelas lhamas, pelos pandas e pelos kiwis. Mas não quero nenhum dinossauro na Arca!

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Porque os diferentes profissionais enxergam os Estados de formas diferentes

Não é de hoje que os Estados brasileiros sofrem com a diferença de pontos de vista dos mais diversos profissionais.

Isso é um mistério!
É é hoje que tentaremos desvendar esse mistério.

AC (Acre)
Para o Químico: Actínio.
Para o Teólogo: Antes de Cristo.
Para o Carteiro: Agência dos Correios.
Para o Lojista: Associação Comercial.

AL (Alagoas)
Para o Químico: Alumínio.
Para o Linguista: Análise Linguística.
Para o Político: Assembleia Legislativa.
Para o Estudioso da Cultura Árabe: Artigo definido.

AM (Amazonas)
Para o Químico: Amerício.
Para o Relojoeiro: Ante Meridiem.
Para o Operador do Aeroporto: Armênia.
Para o Médico: Adrenomedulina.
Para o Operador de Rádio: Amplitude Modulada.
Para o Músico: A Menor.

AP (Amapá)
Para o Jornalista: Associated Press.
Para o Arqueólogo: Antes do Presente.
Para o Síndico: Apartamento.
Para o Técnico de Informação: Access Point.

BA (Bahia)
Para o Egiptólogo: Alma.
Para o Químico: Bário.

CE (Ceará)
Para o Químico: Cério.
Para o Diplomata: Comunidade Europeia.

ES (Espírito Santo)
Para o Químico: Einstênio.

GO (Goiás)
Para o Matemático: Jogo de Estratégia.
Para o Programador: Linguagem de Programação.

MA (Maranhão)
Para o Físico: MiliAmpère.
Para o Geólogo: Um milhão de anos.

MG (Minas Gerais)
Para o Químico: Magnésio.

MS (Mato Grosso do Sul)
Para o Físico: Milissegundo.
Para o Político: Ministério da Saúde.

MT (Mato Grosso)
Para o Químico: Meitnério.
Para o Cambista: Metical.
Para o Teólogo: Evangelho de Mateus.

PA (Pará)
Para o Médico: Pronto Atendimento.
Para o Químico: Protactínio.
Para o Matemático: Progressão Aritmética.

PB (Paraíba)
Para o Químico: Chumbo.
Para o Analista de Sistemas: PetaByte.
Para o Linguista: Português Brasileiro.

PE (Pernambuco)
Para o Teólogo: Padre.
Para o Linguista: Português Europeu.

PI (Piauí)
Para o Matemático: 3,14159.
Para o Físico: Ponto Isoelétrico.
Para o Seriador: Person of Interest.

PR (Paraná)
Para o Químico: Praseodímio.
Para o Político: Partido Republicano.

RN (Rio Grande do Norte)
Para o Químico: Radônio.
Para o Médico: Recém-nascido.

RS (Rio Grande do Sul)
Para o Blogueiro: Risada.

SC (Santa Catarina)
Para o Químico: Escândio.
Para o Farmacêutico: Injeção Subcutânea.
Para o Técnico do Inmetro: Saca.

SE (Sergipe)
Para o Geógrafo: Sudeste.
Para o Químico: Selênio.

TO (Tocantins)
Para o Educador Físico: Terapia Ocupacional.

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

É tão fácil entender de música clássica

Vejo por aí pessoas se debatendo para entender de música clássica.
Pessoas tentam, mas geralmente desistem logo no início, por se tratar de um ritmo não tão contagiante quanto o roquenrou, não tão abundante quanto o funk, nem tão micheltelístico quanto o sertanejo universitário.

Porém, é por essas e outras tantas que estamos aqui. Nós, da Pepino Circense elaboramos um dossiê estupendo, que fará você ser a pessoa mais entendedora de música clássica da sua turma.
De quebra, colocamos links em cada música, para que você delicie-se com a mais bela expressão do nosso planeta:


COMO ENTENDER MÚSICA CLÁSSICA


Bach - é o cara que toca o órgão sinistro, que nos faz lembrar do Fantasma da Ópera. Medo. (Toccata et fugue)
Beethoven - é o cara surdo. Ou, para você que quer se mostrar mais esperto ainda: é o cara da música do caminhão de gás. (Für Elise)
Brahms - é o cara da música de ninar. (Cradle Song)
Chopin - é o cara com a música que toca em quase todos os desenhos do Tom & Jerry. (Grande Valse Brillante)
Dukas - é o cara da música do Mickey com chapéu de feiticeiro, aquele em que ele briga com as vassouras. (Sorcerer's Apprentice)
Elgar - é o cara da música de formatura dos filmes norteamericanos. (Pomp and Circunstance)
Frank Mills - caixinha de música. (Music Box Dance)
Handel - o cara da famosa "Aleluia!" (Hallelujah!)
Strauss (o Johann, não o Richard) - é o cara da valsa que toca, tocou ou tocará na sua festa de 15 anos. (Danúbio Azul)
Strauss (o Richard, não o Johann) - é o cara da música dos macacos jogando ossos pra cima. (Also sprach Zarathustra)
Mendelssohn - é o cara da música que toca, tocou ou tocará no seu casamento. (Wedding March)
Rossini - é o cara da música das corridas de cavalo (Wilhelm Tell Overture)
Wagner - é o cara da música da tempestade, furacão, tufão, maremoto ou qualquer fenômeno natural que deixe todo mundo tenso. (Ritt der Walküre)

E, o mais básico de todos:
Tchaikovsky - o cara do Lago dos Cisnes.

Esperamos ter contribuído para enriquecer o seu gosto musical.
De nada.

O difícil agora é saber quem é quem

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Estreia 13: Novo filme

Conseguimos o roteiro da próxima estreia mundial do filme mais assustador do momento, e vamos publicar em primeira mão!

Dos mesmos produtores de O Chamado:

A professora entra na sala de aula. Silêncio. Senta-se na cadeira e abre um livro.
Pega uma caneta. Coloca os óculos.

- Maria.
- Presente. - responde Maria.
- Carla.
- Presente.
- Josué.
- Eu.
- Renato.
- Presente.
- Rosa.
- Não veio, professora. - grita Carla.
- Carmelo.
- Presente.
- Samara.
- ...
- Samara.
- ...
- Samara!
- Presente, professora!
- Samara, tire esse cabelo da cara! - grita a professora!

Vem aí!


terça-feira, 9 de outubro de 2012

Embu das Artes por vários ângulos

Esta cidade chama-se Embu das Artes. Ela fica no Estado de São Paulo e tem 240 mil habitantes.

Muitos artistas, políticos e outros famosos já passaram pela cidade, e cada um deixou a sua marca.

Foi pensando nessa forma artística de acolher turistas, que o prefeito resolveu adaptar o nome da cidade para cada visitante que for conhecê-la, e assim ficou:

Em Bundas Artes, quando as "atrizes" Rita Cadillac e Gretchen estiveram por lá.
In Bloom das Artes, durante um show do Nirvana.
Em Budas Artes, para agradecer a ida do Dalai Lama.
Em Buuum das Artes, após a queda das Torres Gêmeas.

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Especial sobre Eleições 2012


Durante a semana, o Jornal da Band (na rádio Band FM - Canoinhas-SC) apresentou um especial sobre as Eleições. A cada dia uma explicação diferente: qual é o papel do vereador, o papel do prefeito, Lei de Responsabilidade Fiscal, Pacto Federativo e Lei de Acesso à Informação.

Não fui chamado para opinar, mas deixo aqui a minha versão:

- Qual é o papel do vice-prefeito?
- Bem, o vice-prefeito chega na prefeitura, coloca o paletó na cadeira, senta-se e espera o relógio dar 18h. Aí vai embora.
- Mas e se o prefeito não estiver presente? É o vice que assume. E aí, o que o vice faz?
- O vice? Hum... Ele... Ele... (fecha os olhos e faz cara de choro) Eu ligo pra minha mãe!

Buááá!